2012/06/10

3580 A pomba dos delírios

Eu preciso girar em torno
De outro sol,
Navegar um céu diferente,
Posar meu pé em terra nova,
Renovar o ar intoxicado
Em meu pulmão,
Eu quero escutar o estrondo
De um anônimo big bang
Justo nas portas de meus tímpanos,
Preciso sentir o dedo
Do criador de sonhos
Reinventando
A gênese
No meu redor.

Porque é
Que por causa do desejo
Que eu possuo de você
Que tenho sido diagnosticado
Uma gôndola afundada,
Uma ânfora rachada
Um baú vazio de pérolas,
Eu sou um coração estendido,
Minha garganta silenciada,
Minhas asas estão abertas.

Espero que torne invicta
A pomba dos delírios
E me fertiliza por dentro
Da mielina e o tutanos,
Para reafirmar minha crença
No amor.
Publicar un comentario