2016/08/06

3769 Os sete mares concêntricos de minha adversidade

Quando erro a esmo
Os sete mares
Concêntricos
De minha adversidade,
Eu me salvo
Ancorando ao porto
De minha cama
E chegando ao mesmo ponto
No que eu você acho.

O recanto verde,
Sua calheta,
Minha enseada.

Eu me sinto seguro
Entre suas muralhas,
A salvo dos mísseis
Da nada,
Longe das espadas
Tristonhas,
Resguardado
De espadas afiadas.

Quando eu flutuo vagando
Pelos nove planetas
Na exosfera
Do meu infortúnio,
A mim, salva-me
Engolir o talismã
De sua seiva doce
E voltar para o centro
De você que é minha galáxia.
Publicar un comentario