2015/09/05

3731 Dez mil borboletas

Dez mil borboletas
Voam autonomamente
No campo minado
Do meu estômago,
Sem aparentemente
Reconhecer as leis
Que governam a gravidade.

Batem suas frenéticas asas
Segundo o Efeito Doppler
Cada vez, toda vez
Que você se aproxima e se afasta
Com sua devagar oscilação.

E eu me pergunto
Se o meu coração
Poderá suportar sem explodir,
O cansaço, a agitação
Este desassossego.

Se eu posso resistir
Este azul
De seu planeta
A frieza distante
De suas estrelas.

Possa eu
Superar este dia
Girando em torno de você
Como roda de carruagem,
Desvencilhado carrossel
Que vai com a sua mandala
Rota, eu sou apenas
Como roda dentada
Dançando sozinho,
Sem perceber
O espectro de onda de seu sorriso,
As vagas de seus cabelos
O brilho de seus olhos,
A terna carícia
Com a qual comovido
Se estremece todo meu corpo.
Publicar un comentario